Excesso de gordura corporal é toxina
:: Conceição Trucom ::

Uma verdadeira âncora aos movimentos de leveza, um obstáculo aos anseios mais internos, uma densidade desnecessária, um veneno para a harmonia celular.

A humanidade está inquieta. Tantas facilidades e modernidades não trouxeram a paz e serenidade tão sonhadas. Cada indivíduo, resguardadas suas peculiaridades, descontente consigo mesmo, está cada vez mais buscando espaços para refletir acerca da sua necessidade de rever hábitos, crenças e paradigmas.

Mais obesos, intoxicados e doentes, todos percebem a necessidade inadiável de se submeter ao aprendizado sobre o seu corpo e suas necessidades, à reeducação alimentar e de hábitos, para deixar de agir contra si próprio, e começar a colher novos resultados. Um novo futuro.

Urge a necessidade de reconhecer que as conquistas sutis como serenidade, paz e felicidade, dependem de um corpo saudável e harmonioso. Energético e vital. Pró-ativo e lúcido. Afinal, um prédio elevado, para ser seguro e sólido, depende de fundações profundas.

Aprender a utilizar a alimentação como fator de saúde é decisão primária, visceral. Nesta decisão encontro o despertar verdadeiro da auto-estima e autovalorização da vida. Revela a possibilidade de uma transformação real, jamais iludida, pois estamos mexendo na origem e não na superfície.

Não se trata de vegetarianismo ou naturalismos, de tabelas ou dietas milagrosas, de regras ou limitações. Mas de começar a interferir na descontinuidade dos hábitos intoxicantes e liberar os portais para a saída de todas as toxinas acumuladas ao longo do dia-a-dia como também de muitos e muitos anos.

Compete a nós, adultos e pais de família, responsáveis pela qualidade da nossa alimentação e dos que amamos, atuar esclarecidamente, com informações consistentes, práticas, objetivas e lúcidas, para escolher os alimentos e dinâmicas mais adequadas, sem limitar a alegria de viver e o prazer imperdível de cada refeição ou lanche.

Quanto mais desinformados, ignorantes dos propósitos do capitalismo selvagem, mais vulneráveis (vítimas) nos tornamos às manipulações deste sistema.

Evitemos aqui as artificialidades, as facilidades das comidas rápidas e pré-prontas, as substâncias químicas (adoçantes e refrigerantes), os estimulantes, os alimentos refinados e tantas condutas emocionais e mentais que conduzirão fatalmente ao excesso de gordura corporal, à baixa vitalidade e produtividade, ao adoecimento do sistema imunológico e da função digestiva, com evacuação intestinal insuficiente, prisão de ventre e tantas outras prisões.

Neste contexto, instala-se a intoxicação do sangue, que uma vez perpetuada, resultará no surgimento de tecidos, órgãos e sistemas pessimamente constituídos. A desarmonia constante gera o caos e a destruição. A outra saída é a inadiável transformação, que inicia-se necessariamente pela limpeza e harmonização do corpo físico, ou seja, pela prática diária da desintoxicação.

Para mudarmos os resultados, legítimo é que sejam transformadas as atitudes. Os hábitos alimentares equivocados, sabotadores, indigestos e inconscientes geram resultados de elevado e alarmante custo. O excesso de gordura corporal (obesidade) é um deles, o qual ainda pode revelar inúmeros outros desdobramentos.

Excesso de gordura corporal e obesidade devem ser enfrentados e tratados como um inchaço proveniente de células intoxicadas, tecidos doentes, mal formados, mal hidratados, pessimamente nutridos e limpos, que recebem inadequada irrigação sanguínea e retêm líquidos. Tanto é assim que geram estria, celulite, culote e gordura localizada, verdadeiras deformações, que visualmente declaram, em alguma extensão, sobre a desarmonia interna.

Logicamente que resolver o problema de obesidade e celulite não deve ser encarado como o objetivo nevrálgico do desintoxicar-se, mas inegavelmente este é um brinde que ninguém dispensa.

E, está tudo certo, pois quando não valorizamos nossa saúde, corpo e a possibilidade de realizações pessoais vitoriosas, o corpo “aparece”, não só para cristalizar (sinalizar) esta nossa desvalorização, mas também para nos lembrar da sabotagem que estamos fazendo conosco.

Portanto, quando nos permitimos desintoxicar, “deixar sair” todas as nossas mensagens de destrutividade, o corpo também deixa de ter necessidade de mostrar suas desarmonias, mas ao contrário, surge uma nova vitalidade, brilho e harmonia, inclusive física.

O ‘efeito sanfona’ evidencia que só se alcançará resultado definitivo quando a consciência interna se submeter ao processo de restauração da saúde através da desintoxicação do sangue e tecidos, e restituir a lucidez e equilíbrio inerentes desta linguagem estreita com o corpo LIMPO. Portanto mais inteligente. Neste caso, a perda do excesso de gordura corporal virá por conseqüência.

Emagrecer sem critério, motivando-se por dietas “milagrosas” com restrições nutricionais as mais loucas, debilita o organismo e abre portais para novos desequilíbrios, físicos, emocionais, mentais e até espirituais. De brinde, um envelhecimento e o surgimento de novas doenças.

Finalizo implorando pela clareza: Não existem milagres. Qualidade de vida, serenidade, inteligência, criatividade, superação, vitória, longevidade, beleza e felicidade são construções pessoais em estado de sabedoria.

“Saber e não agir é a mesma coisa que não saber”

  2003 - Nova Era